segunda-feira , 30 janeiro 2023
Home / Destaque / Dipo: uma cidade com 2300 anos

Dipo: uma cidade com 2300 anos

Se procurarmos com alguma atenção, tenderemos a encontrar tesouros escondidos em qualquer parte. Um deles é em Evoramonte (Évora Monte), no Alentejo (Portugal). Ali poderemos encontrar Dipo, uma cidade com 2300 anos que poucos conhecem, mas que foi importante no passado.

Dipo foi uma cidade que esteve presente no espaço territorial que hoje identificamos como Alentejo. Titular de um dos maiores povoados pré-romanos que estiveram presentes no Alentejo. A localização dessa cidade permanece incerta.

Ao longo dos tempos, equipas de arqueólogos realizaram escavações pela região e confirmaram a existência de edificações em Évora Monte que remontam ao século III antes de Cristo.

Estas informações contam parte da história com 2300 anos, sugerindo que seja Dipo uma cidade que é referenciada em diversas fontes. Dipo é identificada como um dos principais aglomerados populacionais da região na Idade do Ferro.

Devido à sua importância, os Romanos tentaram conquistar Dipo por diversas vezes.

Referências históricas
É feita a identificação da cidade de Dipo como um aglomerado importante. Durante as primeiras campanhas romanas em oposição aos carpetanos, a povoação de Dipo é enfatizada por Tito Lívio.

Salústio também deixa uma pequena referência a este centro, que pode ter ficado em Évora Monte. Durante a guerra civil sertoriana, afirmou que Dipo se tratava de uma cidade bastante forte, que resistiu durante vários dias.

O que se sabe:
A cidade de Dipo foi construída há 2300 anos, pelos Sefes.

Mas quem foram os Sefes?
Os Sefes foram um povo de origem celta. As fontes clássicas indicam que a localização dos Sefes de Dipo se situa entre as cidades romanas de Évora (Portugal) e Mérida (Espanha).

Apesar de muitos se referirem aos Lusitanos como os únicos e verdadeiros antepassados dos portugueses, importa salientar que, por aquela região, passaram e viveram muitos outros povos ao longo de milhares de anos. Muito antes de os romanos chegarem à Península Ibérica, houve vários povos, tribos celtas, como os Estrímnios, Brácaros, Tamaganos, Sefes e Lusitanos.

Antes dos Lusitanos ganharem protagonismo, os Sefes eram uma dessas tribos. Sefes (ou Ofis, como também eram conhecidos) significa “povo das Serpentes”. O povo grego chamava ao território oeste da Península ibérica de Ofiússa.

Além da cidade de Dipo, os Sefes fundaram outras cidades, nomeadamente: a de Beuipo (em Alcácer do Sal), a Olisipo (em Lisboa) e a Colipo (em Leiria).

O domínio deste povo justifica-se pelo poderio militar que apresentou. O seu domínio estendeu-se até às margens do rio Mondego.

Veja Também

Frutas e legumes frescos ou congelados?

Ninguém duvida que comer legumes é importante em qualquer dieta. Contudo, o que nem todos ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *