Home / Entretenimento / Pedro Abrunhosa: “Não há maior propriedade cultural que a própria língua”

Pedro Abrunhosa: “Não há maior propriedade cultural que a própria língua”

Por Ricardo Oliveira Duarte

Numa conversa/entrevista de quase uma hora com a Rádio Nova da Língua Portuguesa, o músico Pedro Abrunhosa, um dos nomes maiores da Cultura portuguesa, lembra a primeira viagem sozinho, aos 13 anos, e como isso lhe mudou a vida para sempre, fala do “achamento” do Brasil e de como é incongruente a posição de populistas e nacionalistas relativamente à Cultura.

Elege a palavra “silêncio” como uma das preferidas da Língua Portuguesa – “É uma palavra bonita, que remete para o interior e para um espaço, por exemplo, de literatura” – mas também gosta muito de “bosque”. Foi em torno da Língua que boa parte da conversa com o músico português Pedro Abrunhosa se desenrolou, foi ela o mote do encontro virtual com o jornalista, também português, Ricardo Oliveira Duarte.

Falaram de literatura, de Pedro Abrunhosa ter começado a ler Jorge Amado na adolescência, do gosto dele por Shakespeare e da carta de Pêro Vaz Caminha, que “lida em voz alta tem silêncios implícitos”. De viagens, e de como o músico se fez à estrada, de mochila às costas, pela primeira vez, nas férias, sozinho. “Isso permitiu-me desmistificar o conceito muito luso de que o estrangeiro é melhor”. E de Angola, Cabo Verde e do Brasil, de nacionalismos bacocos e de Cultura: “Não há maior propriedade cultural que a própria língua.

Pedro Abrunhosa, hoje com 59 anos, “escolheu desde sempre o caminho mais difícil” pode ler-se na biografia, que vale muito a pena ler, no site oficial, “aos 16 anos estudava Análise,

Composição e História da Música com Álvaro Salazar e Jorge Peixinho na Escola de Música do Porto e, posteriormente, com Cândido Lima no Conservatório”. Fundou a Escola de Jazz do Porto e com o passar dos anos acabou por viajar até ao rock, ainda que sempre cheio de jazz, no primeiro álbum que lançou. “Viagens” terá vendido perto de 250 mil exemplares e o segundo trabalho, “Tempo”, vendeu em apenas dois meses 200 mil cópias. Lançou muitos outros álbuns e deu milhares de concertos.

A tal biografia que está no site oficial do artista remata o perfil assim: “Pedro Abrunhosa, viajante, escritor, homem de palco por excelência é na estrada que se reencontra. Agora não leva a mochila nem vai sozinho. Na bagagem as Canções e, por companhia, o imenso público que arrasta.”

Entrevistador: Ricardo Duarte
Pesquisa e pré-produção: José Nunes Pereira
Direção e pós-produção Vídeo: António Cunha
1ª Voz Off: Chandi Oliveira
2ª Voz off: Nelma Santos
3ª Voz off: Martinho Neves

RNLP – Rádio Nova da Língua Portuguesa

Veja Também

Millenials são quem mais contribui para o crescimento do mercado do luxo

Os millenials estão otimistas quanto ao seu futuro financeiro e já gastam mais dinheiro em ...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *